Pular para o conteúdo principal

Boa música e planos para 2010!

 

Começo esse post com uma notícia não muito boa: Não tentei realizar o projeto PROTESTO!! Mas tudo bem, acho que foi só uma empolgação inicial, pelas músicas que estava escutando. Entretanto, vamos falar de coisas boas, afinal, hoje é 1º de Janeiro e o ano está começando cheio de esperanças, pelo menos para mim. Esse ano pretendo fazer um curso de áudio voltado para gravações musicais. Não adianta, nunca conseguirei me afastar dessa cachaça que é a música. Eu adoro isso, principalmente quando se tem inspiração, arte mesmo, envolvido. Uma boa interpretação artística nos faz sentir que a vida é muito mais ampla do que imaginamos. Viva a arte, viva a música, viva 2010!!

Aproveitando o novo post, abaixo uma música de uma amiga e mestra, Aline Muxfeldt. A música, muito boa por sinal, foi gravada no meu homestudio. O nome é ‘Just like the rain’, aproveitem:

 

Para download, clique:   just like the rain.mp3

Comentários

  1. E viva 2010 com um toque musical! Desejo-te que neste ano tua vida produza uma excelente trilha musical (essa foi péssima, né? Mas recém acordei, então tenho esta desculpa de estar meio pateta). Um feliz ano bom, que te traga muitas alegrias e planos realizados. Beijos e inté.

    ResponderExcluir
  2. Hum, adorei o som! Muito boa a gravação, parabéns! Beijo

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Não se deve dizer “a árvore é verde”, mas sim “a árvore verdeja”.

"Ao invés de enunciar os julgamentos com a ajuda da cópula “é”, como de hábito, o estoicismo (doutrina filosófica) propõe uma sintaxe que caracterize o movimento e a impermanência: não se deve dizer “a árvore é verde”, mas sim “a árvore verdeja”. Evidencia-se não a qualidade (o adjetivo), mas sim a ação (o verbo), para exprimir não o conceito, mas somente um acontecimento. O que se exprime no julgamento estoico não é uma propriedade como “o corpo équente”, mas o acontecimento “esse corpo se esquenta”. (...) Por isso mesmo, filósofos do limite, como Gilles Deleuze, e ficcionistas montados no paradoxo, como Lewis Carroll, retornam tantas vezes ao estoicismo. Se a árvore “verdeja”, logo ela não é verde".
(KRAUSE, G. B. A Ficção cética, p. 221-222.)

Os deuses helênicos são forças e não pessoas

III COLÓQUIO BRASILEIRO SOBRE EPICTETO

Programação retirada do site do evento: https://iiicoloquiobrasileirosobreepicteto.wordpress.com/
08 de março 2018 – Porto Alegre – PUCRS
9h – Roberto Pich (PUCRS) – A prohairesis de Epicteto e a voluntas de Agostinho: aproximações e diferenças
9h40min – Antônio Tarquinio (SP) – Em torno à euroeseis
10h20 – intervalo
10h40min – Marcelo Barreto dos Santos (UFBA) – Epicteto e a katalepsis no uso correto das phantasiai
11h20min – Donato Ferrara (USP) – As quatro virtudes cardeais na visão de Epicteto
12:00h – almoço
14h – defesa Mestrado Diogo Luz (PUCRS) – Dissertação: Pathos: distúrbio passional e terapia em Epicteto
16h – intervalo
16h20min – André Alonso – Apontamentos sobre phantasía em Platão, Aristóteles e Epicteto 
17h – Carlos Enéas – Musônio Rufo nos propõe uma postura política ideal?
17h40min – encerramento ******************************* 09 de março 2018 – São Leopoldo – UNISINOS 9h – Luiz Rohden (UNISINOS) – Abertura e palestra
9h40 – Aldo Dinucci (UFS) – O teorema ontológico…