Pular para o conteúdo principal

Gravação da música Coração de Pedra

Depois de um bom tempo sem escrever, aqui estou. Esses últimos meses foram muito corridos no meu trabalho, tirando toda a criatividade e espontaneidade suficientes para escrever neste blog. Mas durante esse período, gravei uma poesia que já tinha escrito aqui. Não sei se classifico como música ou como poesia o audio que vou disponibilizar, até porque considero mais importante o conteúdo e não a classificação. Digamos que eu não me afinizo muito com a idéia de rótulos, esteriótipos ou coisa do gênero. A “curta música” se chama Coração de Pedra e foi escrita em 2003 (por aí…). Essa letra, como algumas outras, procurei escrever de uma forma que possa abranger várias interpretações, mas sempre chegando na mesma mensagem (idéia final). Espero que gostem.

Para download: http://www.4shared.com/audio/R2I3P8kd/Corao_de_pedra.html

Comentários

  1. Feliz aniversário, Diogo! Desejo-te muitas alegrias, inspirações, sucesso e corações mais maleáveis no teu caminho! Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Bá, gostei muuuuuuito, muito mesmo!
    Nossa, tô arrepiada.
    Eu tinha lido tua postagem com a poesia, ficou muito boa essa ideia de gravá-la guri!
    Beijão.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Não se deve dizer “a árvore é verde”, mas sim “a árvore verdeja”.

"Ao invés de enunciar os julgamentos com a ajuda da cópula “é”, como de hábito, o estoicismo (doutrina filosófica) propõe uma sintaxe que caracterize o movimento e a impermanência: não se deve dizer “a árvore é verde”, mas sim “a árvore verdeja”. Evidencia-se não a qualidade (o adjetivo), mas sim a ação (o verbo), para exprimir não o conceito, mas somente um acontecimento. O que se exprime no julgamento estoico não é uma propriedade como “o corpo équente”, mas o acontecimento “esse corpo se esquenta”. (...) Por isso mesmo, filósofos do limite, como Gilles Deleuze, e ficcionistas montados no paradoxo, como Lewis Carroll, retornam tantas vezes ao estoicismo. Se a árvore “verdeja”, logo ela não é verde".
(KRAUSE, G. B. A Ficção cética, p. 221-222.)

Os deuses helênicos são forças e não pessoas

III COLÓQUIO BRASILEIRO SOBRE EPICTETO

Programação retirada do site do evento: https://iiicoloquiobrasileirosobreepicteto.wordpress.com/
08 de março 2018 – Porto Alegre – PUCRS
9h – Roberto Pich (PUCRS) – A prohairesis de Epicteto e a voluntas de Agostinho: aproximações e diferenças
9h40min – Antônio Tarquinio (SP) – Em torno à euroeseis
10h20 – intervalo
10h40min – Marcelo Barreto dos Santos (UFBA) – Epicteto e a katalepsis no uso correto das phantasiai
11h20min – Donato Ferrara (USP) – As quatro virtudes cardeais na visão de Epicteto
12:00h – almoço
14h – defesa Mestrado Diogo Luz (PUCRS) – Dissertação: Pathos: distúrbio passional e terapia em Epicteto
16h – intervalo
16h20min – André Alonso – Apontamentos sobre phantasía em Platão, Aristóteles e Epicteto 
17h – Carlos Enéas – Musônio Rufo nos propõe uma postura política ideal?
17h40min – encerramento ******************************* 09 de março 2018 – São Leopoldo – UNISINOS 9h – Luiz Rohden (UNISINOS) – Abertura e palestra
9h40 – Aldo Dinucci (UFS) – O teorema ontológico…