Pular para o conteúdo principal

Postagens

Os deuses helênicos são forças e não pessoas

Postagens recentes

Sobre o cosmos: trecho do livro de Luc Ferry sobre mitologia

“(...), na maior parte da tradição filosófica grega, o mundo deve ser pensado, antes de tudo, como uma ordem magnífica, ao mesmo tempo harmoniosa, justa, bela e boa. É exatamente o que a palavra cosmos designa. Para os estoicos, por exemplo, a quem o poeta latino Ovídio, a justo título, se refere em Metamorfoses, ao reinterpretar à sua maneira os grandes mitos sobre o nascimento do mundo, o universo é semelhante a um magnífico organismo vivo. Se quisermos ter uma ideia disso, podemos compará-lo, quase em todos os pontos, ao que um médico, um fisiologista ou um biólogo descobre ao dissecar um coelho ou um camundongo. De fato, o que ele vê? Primeiramente, que cada órgão está maravilhosamente adaptado à sua função: o que pode ser mais benfeito do que um olho para ver, que os pulmões para a aeração dos músculos, que o coração para irrigar o sangue? Todos esses órgãos são mil vezes mais engenhosos, mais harmoniosos e mais complexos também do que qualquer máquina concebida pelo homem.”

Trech…

Filosofia para a vida - a proposta da revista do Pórtico de Epicteto

É com grande alegria que anuncio o primeiro número da Revista Pórtico de Epicteto, na qual atuo como coeditor. A revista é fruto da iniciativa do grupo Pórtico de Epicteto, que resolveu criar um canal de divulgação de conteúdos relacionados a Epicteto e filosofias irmanadas. Os artigos são de mais ou menos 3-5 páginas, para divulgação de reflexões e estudos. Como diz o próprio site da revista, o objetivo é publicar "pequenos artigos, notas de pesquisa, resenhas e relatos de experiência inéditos na área de filosofia estoica e afins, em língua portuguesa, espanhola, inglesa e francesa. O público-alvo é, fundamentalmente,  docentes, discentes e o grande público". Trata-se de uma revista plural, que conta com a participação de filósofos, psicólogos, músicos, historiadores, etc., que buscam relacionar a filosofia com a vida, ou seja, viver a filosofia. Na presente edição, colaborei com uma entrevista com Donato Ferrara, criador do blog https://devitastoica.com/, um site onde …

A filosofia para além da teoria - vídeo

Essa é a gravação em vídeo de minha exposição no III Colóquio Brasileiro sobre Epicteto que se realizou em março de 2018. Nela procuro expor a importância que o filósofo atribuiu ao papel da prática. Inicialmente exponho crítica de Epicteto aos que, após lerem textos filosóficos, saem "vomitando palavras não digeridas". Logo depois, comento sobre como o filósofo recomenda o início da transformação prática para quem pretende progredir filosoficamente.


III COLÓQUIO BRASILEIRO SOBRE EPICTETO

Programação retirada do site do evento: https://iiicoloquiobrasileirosobreepicteto.wordpress.com/
08 de março 2018 – Porto Alegre – PUCRS
9h – Roberto Pich (PUCRS) – A prohairesis de Epicteto e a voluntas de Agostinho: aproximações e diferenças
9h40min – Antônio Tarquinio (SP) – Em torno à euroeseis
10h20 – intervalo
10h40min – Marcelo Barreto dos Santos (UFBA) – Epicteto e a katalepsis no uso correto das phantasiai
11h20min – Donato Ferrara (USP) – As quatro virtudes cardeais na visão de Epicteto
12:00h – almoço
14h – defesa Mestrado Diogo Luz (PUCRS) – Dissertação: Pathos: distúrbio passional e terapia em Epicteto
16h – intervalo
16h20min – André Alonso – Apontamentos sobre phantasía em Platão, Aristóteles e Epicteto 
17h – Carlos Enéas – Musônio Rufo nos propõe uma postura política ideal?
17h40min – encerramento ******************************* 09 de março 2018 – São Leopoldo – UNISINOS 9h – Luiz Rohden (UNISINOS) – Abertura e palestra
9h40 – Aldo Dinucci (UFS) – O teorema ontológico…

Diógenes, o cínico, e sua popularidade

“Os que o admiravam e tornaram-se discípulos seus devem ter sido bem poucos. Raramente os filósofos têm sido admirados e reverenciados pela multidão, e, como observou certa feita Schopenhauer, popularidade e grandiosidade de pensamento apresentam-se, por vezes, em uma razão inversa. Popularidade é uma indicação firme de rarefação mental e vacuidade de espírito, porque as massas normalmente admiram e aplaudem os que lhes são semelhantes, e de jeito nenhum se pode dizer que Diógenes faz lembrar-se do homem comum de sua época, nem, a rigor, o homem comum de qualquer época. Dado seu estilo de vida excêntrico e ofensivo, seria coisa extraordinária se o achássemos em meio a um grande número de seguidores dedicados que o admirassem”. (NAVIA, L. E. Diógenes, o cínico, p. 59)

"Queres saber o que faz os homens desejarem tanto o futuro?"

SÊNECA. Cartas a Lucilio. XXXII.