Pular para o conteúdo principal

O próximo passo

 

Nestes últimos dias fiquei surpreso por algumas pessoas pedirem para eu atualizar o blog. Achei que poucas pessoas liam meus posts, mas, felizmente, me enganei. Acho que muita gente se abstém de comentar. Seguidamente faço isso também, pois consulto muitas comunidades no orkut referente à gravação, mas não comento nada. A internet é uma ferramenta que nos faz “escutar” e, nesse aspecto, acho que ela contribuiu muito para a nossa sociedade. As opiniões democratizaram-se mais. Existe cada vez menos uma moral soberana, de uma minoria dominante, pois os meios de comunicação REALMENTE puderam se tornar democráticos. Há cada vez menos a moral patriarcal, ditatorial, imperial, religiosa, midiática, empresarial, cultural, histórica, etc. Há, cada vez mais, as razões de cada um. E isso faz com que conheçamos a essência do ser humano, obrigando-nos a ter de respeitar as nossas diferenças, que são inúmeras. Isso é a pós-modernidade. Nosso próximo passo é o fim do preconceito. É o amor sem exigência de um padrão. Essa “crise de valores” atual nos levará a um passo muito bonito para a nossa história. Como dizem os orientais, toda crise é uma oportunidade. Que assim seja!

Comentários

  1. Também me surpreendo quando alguém conhecido diz que gostou do meu blog, às vezes acho que só os estranhos lêem meus desabafos. "A internet é uma ferramenta que nos faz “escutar”", ela também nos proporciona sermos ouvidos. É incrível quando algo que dizemos ajuda ou afeta alguém. Adorei o "amor sem exigência de um padrão", este - o seguir um padrão - só nos atrapalha a vida. Estou em um momento de educar os meus preconceitos. Beijão, Diogão! E escreva com mais frequência, é bom desabafar (falo isso mas ando com uma preguiça...).

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Não se deve dizer “a árvore é verde”, mas sim “a árvore verdeja”.

"Ao invés de enunciar os julgamentos com a ajuda da cópula “é”, como de hábito, o estoicismo (doutrina filosófica) propõe uma sintaxe que caracterize o movimento e a impermanência: não se deve dizer “a árvore é verde”, mas sim “a árvore verdeja”. Evidencia-se não a qualidade (o adjetivo), mas sim a ação (o verbo), para exprimir não o conceito, mas somente um acontecimento. O que se exprime no julgamento estoico não é uma propriedade como “o corpo équente”, mas o acontecimento “esse corpo se esquenta”. (...) Por isso mesmo, filósofos do limite, como Gilles Deleuze, e ficcionistas montados no paradoxo, como Lewis Carroll, retornam tantas vezes ao estoicismo. Se a árvore “verdeja”, logo ela não é verde".
(KRAUSE, G. B. A Ficção cética, p. 221-222.)

Os deuses helênicos são forças e não pessoas

III COLÓQUIO BRASILEIRO SOBRE EPICTETO

Programação retirada do site do evento: https://iiicoloquiobrasileirosobreepicteto.wordpress.com/
08 de março 2018 – Porto Alegre – PUCRS
9h – Roberto Pich (PUCRS) – A prohairesis de Epicteto e a voluntas de Agostinho: aproximações e diferenças
9h40min – Antônio Tarquinio (SP) – Em torno à euroeseis
10h20 – intervalo
10h40min – Marcelo Barreto dos Santos (UFBA) – Epicteto e a katalepsis no uso correto das phantasiai
11h20min – Donato Ferrara (USP) – As quatro virtudes cardeais na visão de Epicteto
12:00h – almoço
14h – defesa Mestrado Diogo Luz (PUCRS) – Dissertação: Pathos: distúrbio passional e terapia em Epicteto
16h – intervalo
16h20min – André Alonso – Apontamentos sobre phantasía em Platão, Aristóteles e Epicteto 
17h – Carlos Enéas – Musônio Rufo nos propõe uma postura política ideal?
17h40min – encerramento ******************************* 09 de março 2018 – São Leopoldo – UNISINOS 9h – Luiz Rohden (UNISINOS) – Abertura e palestra
9h40 – Aldo Dinucci (UFS) – O teorema ontológico…