sábado, 29 de maio de 2010

Coração de pedra

Atualizando meu blog, que nem sei mais se é pessoal, artístico, sei lá. Só sei que aqui resolvo publicar minhas divagações para quem queira ler. Como, cada vez mais, percebo que a (minha) vida é um aprendizado constante, resolvi postar algo que escrevi há muito tempo, que inclusive já foi até musicado, mas ainda não tive a felicidade de gravar. Escrevi essa letra (poesia) há uns 5 ou 6 anos atrás, e ela é um dos poucos textos que eu não mudaria nada. Quem escreve sabe que sempre quando damos uma lida em algo muito antigo de nossa autoria, dificilmente não temos vontade de mudar algo. Ela não representa o que eu penso, em essência, mas é a provocação que vale. Ei-la:

CORAÇÃO DE PEDRA (musicada)

Numa noite normal
Eu lembro de alguns homens
Quando vejo uma estátua
Dessas de traços perfeitos

Ela não faz nada
E pensa que não vemos
Que sua forma bonita
Tem um coração de pedra

Noite fria de inverno
Lembra o coração da pedra
Que mesmo com o Sol
Aquecendo à distância
Ainda prefere a sombra
O escuro da ignorância

(em breve publicarei a música, fica registrada aqui a promessa.)

Para finalizar com chave de ouro, uma música magnífica que eu acho que combina com a reflexão do texto, principalmente por que não deixa a esperança morrer. Simplesmente linda:

2 comentários:

  1. Pois não sei se o que torna o coração uma pedra é a ignorância ou o saber demais. Às vezes, manter os pés muito no chão nos embrutece. Talvez seja os dois que nos tornem pedras, temos que encontrar um meio termo.
    Beijos, Diogo! Saudades tuas, guri!

    ResponderExcluir
  2. Sei lá, conhecer uma pessoa como vc hoje depois de tudo que já conheci...
    Gosto de aprender tentando;E crescer através das minhas experiências...
    Amo ser surpreendida...
    Acredito muito no Potencial humano...
    Na verdade eu Amo o Ser Humano de uma forma em Geral.
    Adorei !!!

    bjsss

    ResponderExcluir