Pular para o conteúdo principal

Divagação

Algumas coisas que aconteceram nessas últimas semanas me fizeram refletir o que um amigo me disse: "Não adianta ajudar quem não quer ser ajudado". Não que eu não soubesse disso, mas tem momentos que determinados conceitos nos elucidam melhor. Até podemos pensar que isso é uma maneira de justificar a falta de vontade de ajudar alguém, mas, não é a isso que eu me refiro. Eu falo justamente quando empreendemos esforços para dar um help para alguém e essa pessoa não está com a mínima vontade de sair da situação de penumbra em que se encontra. É como se a pessoa gostasse de sua frustração, se regozijasse com isso. Na verdade, acho que todos nós temos esses momentos, é muito fácil falar dos outros também. Entretanto, esse comportamento suga muito quem está em volta tentando ajudar. Nessas horas, o amor próprio é uma bênção.

Como já é de praxe, finalizo a postagem com alguma manifestação artística que tenha a ver com o que foi dito. É uma parte do show do Teatro Mágico, que foi gravado em DVD. Chama-se INSETOS INTERIORES. Perfeito.

Comentários

  1. Muitos tem a mania de querer ajudar quem não pede ajuda, se antecipar à necessidade do outro de pedir um conselho. Também sou assim, ou era, agora estou mais "controlada". Tem determinadas situações que a pessoa tem que passar, faz parte do aprendizado, do amadurecimento, não adianta tentarmos "impedir". Beijos pra ti.

    ResponderExcluir
  2. É meu velho ... concordo com a Daniela aí em cima. Todos nós temos uma empatia para aprender com o erro dos outros. Mas certas coisas só se aprende passando. Felizmente e infelizmente é assim. Que chato seria se aprendessemos sempre com os erros dos outros. Com certeza estaríamos numa sociedade muito mais avançada nas relações sociais ... mas será que a vida teria alguma aventura (Acho que tu entende o que eu to falando)? Um abraço por trás.

    ResponderExcluir
  3. Perfeitos comentários. Sem mais, hehehe.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Não se deve dizer “a árvore é verde”, mas sim “a árvore verdeja”.

"Ao invés de enunciar os julgamentos com a ajuda da cópula “é”, como de hábito, o estoicismo (doutrina filosófica) propõe uma sintaxe que caracterize o movimento e a impermanência: não se deve dizer “a árvore é verde”, mas sim “a árvore verdeja”. Evidencia-se não a qualidade (o adjetivo), mas sim a ação (o verbo), para exprimir não o conceito, mas somente um acontecimento. O que se exprime no julgamento estoico não é uma propriedade como “o corpo équente”, mas o acontecimento “esse corpo se esquenta”. (...) Por isso mesmo, filósofos do limite, como Gilles Deleuze, e ficcionistas montados no paradoxo, como Lewis Carroll, retornam tantas vezes ao estoicismo. Se a árvore “verdeja”, logo ela não é verde".
(KRAUSE, G. B. A Ficção cética, p. 221-222.)

Os deuses helênicos são forças e não pessoas

III COLÓQUIO BRASILEIRO SOBRE EPICTETO

Programação retirada do site do evento: https://iiicoloquiobrasileirosobreepicteto.wordpress.com/
08 de março 2018 – Porto Alegre – PUCRS
9h – Roberto Pich (PUCRS) – A prohairesis de Epicteto e a voluntas de Agostinho: aproximações e diferenças
9h40min – Antônio Tarquinio (SP) – Em torno à euroeseis
10h20 – intervalo
10h40min – Marcelo Barreto dos Santos (UFBA) – Epicteto e a katalepsis no uso correto das phantasiai
11h20min – Donato Ferrara (USP) – As quatro virtudes cardeais na visão de Epicteto
12:00h – almoço
14h – defesa Mestrado Diogo Luz (PUCRS) – Dissertação: Pathos: distúrbio passional e terapia em Epicteto
16h – intervalo
16h20min – André Alonso – Apontamentos sobre phantasía em Platão, Aristóteles e Epicteto 
17h – Carlos Enéas – Musônio Rufo nos propõe uma postura política ideal?
17h40min – encerramento ******************************* 09 de março 2018 – São Leopoldo – UNISINOS 9h – Luiz Rohden (UNISINOS) – Abertura e palestra
9h40 – Aldo Dinucci (UFS) – O teorema ontológico…