Pular para o conteúdo principal

Ser essência, muito mais!

 

Todo mundo tem um mundo que é só seu, seu microcosmo. Eu tenho esse mundo e estou começando a colocar neste blog, através de versos, música, pensamentos, etc. E hoje me deparei com algo que escrevi em 2004, que ficou em seu estado latente, como se fosse bonito ter isso guardado. A impressão que eu tenho é que determinadas coisas ficam mais bonitas quando “achadas” e não publicadas/mostradas, e, por isso , eu guardava até de mim mesmo. Acho que era para poder “encontrar” depois, até porque, como sempre admirei o mérito, o esforço para se chegar ao que se pretente, talvez eu escondesse isso para poder ter o “mérito” de encontrar ou de ser encontrado… Coisa louca né?

Como disse anteriormente, isso tem um valor específico pra mim. Talvez para outras pessoas nem tanto, porque tenho apego emocional mesmo, heheehe. Como eu escrevi no post abaixo “NOVO PROJETO: PROTESTO!”: “na rede se extravasa, os mitos guardados”…

Lá vai:

 

AÇÃO E REAÇÃO

                          [Tudo por causa do medo de sentir medo]

É muito o valor do tempo
esperar é alienação
É muito o medo do momento
o fundamental é não
perguntar o que o tempo
nos trará


O presente está passando
a rotina é a prisão
O futuro está acabando
o fundamental é não
se importar com o que eles
vão pensar


Objetivo em mente
Espírito despertado
“A esperança é o sonho
de quem está acordado.”


Parte solitário
longe de todas as ilusões
Vale mais ser solitário
do que aplaudido por multidões

Comentários

  1. Na última estrofe não seria:

    "Parto solitário"

    Bonito isso cara. Mas tenho uma opinião um pouco diferente das coisas aí ditas.

    Te amo.

    ResponderExcluir
  2. Coisa louca, né?
    Eu também guardo coisas minhas, acho que pra tudo tem um tempo... o nosso tempo. O que só nós por vezes, devemos e queremos passar. Muitas e milhões de vezes (repito!), achava ruim ter um blog por isso... (medo!). Que bobagem a minha... Cada um com seu tempo e com seu jeito... e ponto.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Não se deve dizer “a árvore é verde”, mas sim “a árvore verdeja”.

"Ao invés de enunciar os julgamentos com a ajuda da cópula “é”, como de hábito, o estoicismo (doutrina filosófica) propõe uma sintaxe que caracterize o movimento e a impermanência: não se deve dizer “a árvore é verde”, mas sim “a árvore verdeja”. Evidencia-se não a qualidade (o adjetivo), mas sim a ação (o verbo), para exprimir não o conceito, mas somente um acontecimento. O que se exprime no julgamento estoico não é uma propriedade como “o corpo équente”, mas o acontecimento “esse corpo se esquenta”. (...) Por isso mesmo, filósofos do limite, como Gilles Deleuze, e ficcionistas montados no paradoxo, como Lewis Carroll, retornam tantas vezes ao estoicismo. Se a árvore “verdeja”, logo ela não é verde".
(KRAUSE, G. B. A Ficção cética, p. 221-222.)

Os deuses helênicos são forças e não pessoas

III COLÓQUIO BRASILEIRO SOBRE EPICTETO

Programação retirada do site do evento: https://iiicoloquiobrasileirosobreepicteto.wordpress.com/
08 de março 2018 – Porto Alegre – PUCRS
9h – Roberto Pich (PUCRS) – A prohairesis de Epicteto e a voluntas de Agostinho: aproximações e diferenças
9h40min – Antônio Tarquinio (SP) – Em torno à euroeseis
10h20 – intervalo
10h40min – Marcelo Barreto dos Santos (UFBA) – Epicteto e a katalepsis no uso correto das phantasiai
11h20min – Donato Ferrara (USP) – As quatro virtudes cardeais na visão de Epicteto
12:00h – almoço
14h – defesa Mestrado Diogo Luz (PUCRS) – Dissertação: Pathos: distúrbio passional e terapia em Epicteto
16h – intervalo
16h20min – André Alonso – Apontamentos sobre phantasía em Platão, Aristóteles e Epicteto 
17h – Carlos Enéas – Musônio Rufo nos propõe uma postura política ideal?
17h40min – encerramento ******************************* 09 de março 2018 – São Leopoldo – UNISINOS 9h – Luiz Rohden (UNISINOS) – Abertura e palestra
9h40 – Aldo Dinucci (UFS) – O teorema ontológico…